Mundo

Greta Thunberg já está na COP25. Esperadas mais de 100 mil pessoas na Marcha pelo Clima

A ativista sueca Greta Thunberg, acabada de chegar de Lisboa, vai estar na manifestação que deverá contar com a coordenadora do BE, Catarina Martins, e o líder do PAN, André Silva. Representantes de diversas organizações ambientalistas portuguesas também vão desfilar na Marcha pelo Clima.

Sem ninguém esperar, a ativista Greta Thunberg, de 16 anos, deslocou-se na manhã desta sexta-feira à cimeira sobre alterações climáticas das Nações Unidas (COP25), que está a decorrer em Madrid. Horas antes, a jovem sueca chegava à capital espanhola, pouco depois das 07:30, após uma viagem de comboio de 10 horas proveniente de Lisboa.

Terá sido uma “decisão espontânea” de Greta Thunberg, de acordo com o que comunicou a equipa que a acompanha à imprensa espanhola. A jovem só era esperada no recinto da COP25 na próxima semana. Da estação de Chamartin, onde foi recebida por dezenas de ativistas e jornalistas, Greta deslocou-se à feira de Madrid, onde está a decorrer a cimeira, de carro elétrico.

À tarde, a capital espanhola vai ser o palco da Marcha pelo Clima, que acontece à margem da COP25, sendo esperadas dezenas de milhares de pessoas e a presença da jovem ambientalista Greta Thunberg.

Segundo os organizadores da manifestação, deverão participar “mais de cem mil” pessoas de todo o mundo para “desmascarar a hipocrisia” dos governos que há 25 anos se reúnem sem sucesso para contrariar as alterações climáticas.

A Marcha pelo Clima e uma cimeira social que começa no sábado vão dominar a agenda paralela à 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que começou a 2 de dezembro e vai prolongar-se até 13 de dezembro em Madrid.

A manifestação começa às 18:00 (17:00 em Lisboa) em Atocha, perto do centro de Madrid, e depois de percorrer uma parte de A Castelhana, a maior e mais importante avenida da capital espanhola, termina na zona dos Novos Ministérios.Na marcha, que deverá contar com a coordenadora do BE, Catarina Martins, e o líder do PAN, André Silva, está prevista a presença de representantes de diversas organizações ambientalistas portuguesas.

Greta Thunberg, que durante o último ano ganhou protagonismo e se tornou uma das caras mais conhecidas no movimento internacional que exige ação contra as alterações climáticas, chegou a Madrid esta manhã, depois de uma viagem no Lusitânia Comboio Hotel, o comboio noturno que liga Lisboa à capital espanhola.

Viajaram no comboio cerca de trinta jornalistas, fotógrafos e operadores de cámara de vários países que embarcaram no comboio em Lisboa para cobrir a viagem de Thunberg. O interesse mediático em Lisboa já tinha sido grande e vai continuar a ser em Madrid onde a ativista tem agendado a participação numa série de eventos.

A ativista rejeita viajar de avião devido às emissões de gases poluentes associados e, depois de afastar a possibilidade de se deslocar num veículo elétrico e receber ofertas inéditas, como a de cobrir os 625 quilómetros que separam as capitais ibéricas por burro, decidiu-se pelo comboio, apesar de a linha não estar eletrificada na totalidade do seu percurso.

Em Madrid, Greta Thunberg vai participar na Marcha pelo Clima convocada para esta sexta-feira ao fim da tarde, depois de dar uma conferência de imprensa, juntamente com outros membros do movimento das FridaysForFuture e Juventude pelo Clima.

Na manifestação haverá “espaços” de música, poesia, e outros eventos de animação cultural.Na capital espanhola, está previsto que a jovem sueca participe na leitura de um manifesto juntamente com o ator Javier Bardem e Sónia Guajajara, líder da Associação Articulação dos Povos Indígenas do Brasil.

A agenda da ativista também inclui a sua participação, segunda-feira, no evento “Crianças e jovens perante as aAlterações Climáticas”, acompanhada da ministra da Educação espanhola, Isabel Celaá, a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, e a diretora executiva da Unicef, Henrietta H. Fore.

Todos estes eventos são realizados à margem da Cimeira das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas conhecida como COP25 que foi transferida de urgência, a 1 de novembro para Madrid, depois de o Chile ter anunciado que renunciava à sua organização, devido à contestação social sem precedentes no país.

Fonte
dn.pt
Mostrar mais

Artigos relacionados