Saúde

Mais de metade das crianças em internamento corre risco nutricional

Nutricionistas consideram o panorama “alarmante” e chamam a atenção para a escassez de especialistas desta valência nas unidades hospitalares. Para inverter a situação, a Ordem publica uma Norma de Orientação Profissional, na qual recomenda a aposta num diagnóstico precoce

Tiago Miranda

Esta sexta-feira assinala-se o Dia Mundial da Criança, uma efeméride para celebrar com os mais novos e para fazer refletir os adultos.

Neste sentido, a Ordem dos Nutricionistas alerta que mais de metade das crianças e adolescentes em internamento hospitalar em Portugal pode estar em risco nutricional. A bastonária Alexandra Bento considera a situação “alarmante” e frisa que o número de especialistas disponíveis nas unidades de saúde públicas é “claramente insuficiente” para as necessidades do país.

O défice de profissionais tem um impacto “muito significativo na recuperação e qualidade de vida” dos pacientes mais novos, o que leva a Ordem a publicar uma Norma de Orientação Profissional (NOP) para identificação do risco nutricional em idade pediátrica.

A entidade recomenda a utilização da ferramenta “STRONGkids”, concebida para rastrear a presença de patologias, detetar sintomas indicativos de mau estado nutricional, testar a diminuição da ingestão alimentar, assim como a perda de peso. De acordo com os resultados verificados, é traçado posteriormente o plano de recuperação mais adequado.

“Se a desnutrição for precocemente diagnosticada, e fizermos uma intervenção nutricional atempada, vamos reduzir complicações, tempos de internamento e custos”, assevera Alexandra Bento, através de um comunicado da Ordem dos Nutricionistas.

FONTE http://expresso.sapo.pt

Fonte da Notícia
EXPRESSO.SAPO.PT
Mostrar mais

Artigos relacionados