Nacional

Temporal provoca caos nos transportes em Lisboa. Uber custa duas vezes mais

O temporal provocado pela depressão Elsa está a provocar um caos nos transportes em Lisboa. Em plena hora de ponta, comboios, barcos e até "Ubers" enfrentam complicações.

O temporal provocado pela depressão Elsa está a criar fortes constrangimentos nos transportes na região de Lisboa. Os problemas afetam as ligações fluviais pelo Tejo e os comboios, incluindo a circulação na Ponte 25 de Abril via Fertagus. Nas plataformas eletrónicas, os preços chegam a duplicar.

“Informamos que foi limitada a circulação de comboios na Ponte 25 de Abril, adotando-se o itinerário de comboio pesado, em virtude dos ventos fortes que se registam (rajadas de 70 Km/h). Em consequência, a circulação na ponte é feita alternadamente, o que irá provocar atrasos em toda a circulação”, lê-se num aviso enviado pela Fertagus aos clientes, através da aplicação da empresa.

As ligações fluviais entre o Terreiro do Paço e a Margem Sul também estão suspensas, de acordo com a SIC Notícias. O site do operador de transporte está offline devido ao elevado fluxo de acessos.

A CP também está a enfrentar complicações. De acordo com a TSF, a circulação na linha da Beira Baixa foi interrompida, devido a um possível deslizamento de terras.

Lisboa a Portela por 40 euros na Uber. O valor é muito superior ao preço cobrado num dia “normal”.

De Santos à Gare do Oriente, à hora de publicação deste artigo, o preço cobrado aos clientes era de 23,94 euros, um custo que está a ser inflacionado pelas tarifas dinâmicas, ativadas pela elevada procura. Para a Portela, o preço chega perto dos 40 euros quando, normalmente, pode custar entre 12 a 14 euros. A Bolt, concorrente da Uber, também indica que “os preços subiram devido à elevada procura”.

O ECO confirmou que, em alguns casos, nas plataformas eletrónicas, os preços pedidos são duas vezes superiores ao normal.

As ligações fluviais entre a Península de Setúbal e Lisboa foram hoje à tarde suspensas devido ao “agravamento das condições atmosféricas”, anunciou a Transtejo/Soflusa.

“Face ao agravamento das condições atmosféricas, neste momento, por motivos de segurança, estão suspensas todas as ligações fluviais da Transtejo e Soflusa, com exceção de Cacilhas”, adiantou fonte da empresa à agência Lusa ao início da tarde.

No entanto, ao final da tarde, a ligação fluvial entre Cacilhas, em Almada, e o Cais do Sodré, em Lisboa, também foi suspensa devido ao agravamento das condições atmosféricas.

“As condições atmosféricas não melhoraram, pelo contrário, agravaram-se neste espaço de tempo e tivemos que suspender também a ligação de Cacilhas”, em Almada, no distrito de Setúbal, adiantou fonte da empresa à agência Lusa.

Segundo a Transtejo/Soflusa, o transporte fluvial apenas será retomado quando “se verificar uma melhoria das condições atmosféricas que permitam retomar a operação em segurança”. “De momento, não é possível prever a retoma do serviço”, lê-se ainda na página da internet da empresa.

(Notícia em atualização)

FONTE ECO SAPO.PT
Fonte
SAPO.PT
Mostrar mais

Artigos relacionados